Área de imprensa

Informações sobre autores, lançamentos e catálogo:

Horário de funcionamento: 9h às 18h

Releases / Lançamentos

  • Brasil 1982-2019: uma coletânea de artigos na área de economia
    Brasil 1982-2019: uma coletânea de artigos na área de economia

    Editora FGV lança coletânea de artigos sobre a economia brasileira

     

    O diretor da FGV EPGE, Rubens Penha Cysne, seleciona uma série de artigos sobre a economia brasileira escritos durante mais de três décadas

     

    Uma série de artigos do economista Rubens Penha Cysne publicados na imprensa brasileira entre os anos de 1982 e 2019 são reunidos no livro Brasil 1982-2019: uma coletânea de artigos na área de economia, publicado pela Editora FGV em parceria com a Escola Brasileira de Economia e Finanças, FGV EPGE.

    O enfoque analítico utilizado na obra é relativo à análise macroeconômica, mas há textos que apresentam uma abordagem mais ampla, envolvendo ideias pertinentes a áreas das ciências sociais afins à economia.

    Os artigos desta coletânea são divididos entre as décadas abordadas - 1980, 1990, 2000 e 2010 - de acordo com a data de publicação na imprensa e, em uma segunda divisão, com base em um índice de grandes temas, que cobrem assuntos de ordem fiscal, previdenciária, regulatória, monetária e cambial.

    Planos de estabilização, reformas econômicas, equilíbrio das contas externas, pobreza, desigualdade, crescimento e inflação também são temas abordados nos artigos, a exemplo da evolução da inflação e tentativas de reduzi-la ocorridas no período de 1982 e 1994 e os sete planos de econômicos que antecederam o Plano Real.

    Brasil 1982-2019: uma coletânea de artigos na área de economia chega em formato digital, já disponível no site da Editora FGV, bem como nas lojas da Apple, Amazon e GooglePlay, e será lançado no formato impresso após o período crítico de isolamento social.

     

     

  • Classes médias e política no Brasil : 1922-2016
    Classes médias e política no Brasil : 1922-2016

    Editora FGV lança novo livro do sociólogo Adalberto Cardoso

    Obra trata da atuação política das classes médias e está disponível em formato digital

     

    A Editora FGV lança o livro “Classes médias e política no Brasil: 1922-2016”, do sociólogo Adalberto Cardoso, que traz elementos sobre aspectos centrais da tensa relação das classes médias com a política, tanto em relação à identidade dessas classes quanto para os processos sociais e políticos que delas se alimentam. Cardoso abre seu livro lembrando que a ideia original era escrever sobre as classes médias, mas depois percebeu que seria necessário discutir também sua atuação política. E o que era para ser apenas um capítulo acabou se avolumando, resultando no livro agora lançado.

    Cardoso investiga a ação política das classes médias na história brasileira, durante o período denominado por ele como “longo ciclo de Vargas”, que tem início com as revoltas tenentistas de 1922 e termina com o golpe militar de 1964. Também faz parte da abordagem a relação entre classes médias e política durante a ditadura militar-civil, termo utilizado pelo autor, quando as classes médias estiveram majoritariamente com os militares por todo o período. O autor faz a ressalva de que uma proporção não desprezível da oposição, como o movimento estudantil de classe média e a luta armada, também foi encabeçada predominantemente por esta classe.

    A obra faz, na sequência, uma incursão no debate sobre o processo que derrubou Dilma Rousseff em 2016, do ponto de vista do papel das classes médias no processo de polarização. Cardoso argumenta que a conjuntura 2013-2016 foi típica dos processos de formação de classe, nos quais coletivos em luta constroem identidades coletivas referenciadas nos adversários e na disputa pela determinação dos rumos a serem dados ao país, isto é, no âm­bito da política como lugar de definição dos fins da ação pública.

    Na obra, Cardoso recupera ainda uma pequena parcela da discussão internacional sobre a relação entre classes médias e política, com um olhar de longa duração em modo “voo de pássaro”. Faz dialogar argumentos de autores tão díspares quanto Aristóteles, Alexis de Tocqueville, Karl Marx, Charles Wright Mills, Scott Lash e Klaus Eder, dentre outros, para trazer à superfície da análise sociológica a centralidade das classes médias nas dinâmicas sociais e política da ordem burguesa, bem como suas metamorfoses no tempo.

     

    Classes médias e política o Brasil: 1922-2016

    Editora FGV

    Autor: Adalberto Cardoso

    E-book disponível em todas as plataformas

    Impresso após o período de isolamento

  • Arquivologia: temas centrais em uma abordagem introdutória
    Arquivologia: temas centrais em uma abordagem introdutória

    Editora FGV lança o ebook da obra Arquivologia

     

    Mesmo em meio ao isolamento social, a Editora FGV antecipa o ebook da obra Arquivologia: temas centrais em uma abordagem introdutória.

    Organizado por Anna Carla Almeida Mariz e Thayron Rodrigues Rangel, o livro expõe os temas centrais da arquivologia em uma linguagem acessível, visando a um público de iniciantes e também de curiosos que queiram se informar sobre o assunto.

     

    Trata-se de um contato inicial, que pode ser usado em salas de aula, presenciais ou online (que vem sendo uma realidade nesses tempos) para apresentar temas importantes aos ingressantes dos cur­sos de graduação, ou ainda a leigos que almejam conhecer o campo arquivístico ou nele tenham interesses ou afinidades.

     

    A coletânea é escrita por professores e profissionais especialistas que desenvolvem pesquisas sobre os temas elencados e apresentam suas perspectivas e olhares sobre os respectivos objetos, sempre atendendo a esta característica: uma abordagem para leigos.

     

    O ebook está disponível no site da Editora FGV, além das lojas da Amazon, Apple e Google Play.

     

    A versão impressa será lançada após esse período passar.

  • Investindo em valor social: gerando valor social com investimentos
    Investindo em valor social: gerando valor social com investimentos

    FGV Editora lança estudo de autores inéditos no Brasil:

    Investindo em valor social, tradução da obra de Howard Warren Buffett e William Eimicke,

    lançada originalmente pela Columbia University Press, ganha versão em português

     

    Baseados em experiências americanas, como o Central Park Conservancy (CPC) e o Friends of the High Line, ambas em Nova Iorque, parcerias ocorridas no Afeganistão e a atuação da ONG Comunitas, de São Paulo, entre outros exemplos, os professores da Universidade de Columbia, Howard Warren Buffett e William Eimicke, apresentam as inúmeras perspectivas e resultados de parcerias entre setores público e privado.

     

    As abordagens apresentadas em Investindo em valor social: gerando valor social com investimentos, publicada pela FGV Editora, partem da visão pregada em sala de aula pelos autores, que em seus cursos de gestão pública eficaz, inovação e filantropia, descrevem, com frequência, parcerias entre setores como um caminho mais eficaz para aten­der o interesse público.

     

    De acordo com os autores, “A visão tradicional de como as sociedades gerenciam a si mesmas está mudan­do. O governo, por si, não tem conseguido cuidar das responsabilidades e dos custos crescentes dos problemas que enfrenta no mundo moderno: segurança pública, bem-estar social, relações internacionais, geração de empregos, mo­radias, energia, proteção ambiental, transportes, exploração espacial, pesquisa científica, justiça, e daí por diante. Além disso, a maioria dos indivíduos e das comunidades locais não quer que esses problemas importantes sejam tratados sem que eles sejam ouvidos, por mais bem-intencionado que seja o governo”.

     

    A obra aponta que há soluções mesmo nas condições atuais do Brasil e apresenta melhores práticas em formação de parcerias, como: definir melhor objetivos e estabelecer cronogramas, calcular benefícios esperados e, talvez mais importante, a forma de envolver a sociedade civil na busca de novas e inovadoras soluções para o país.

     

    Publicado em boa hora no Brasil, o livro pretende ajudar na reflexão que governo, setor privado, setor filantrópico e entidades da socie­dade civil podem sim somar forças para lidar com problemas que parecem ser insuperáveis, tais como saúde, segurança, pobreza rural e infraestrutura.

     

     

    “Investindo em valor social” oferece um argumento persuasivo e um arcabouço prático para o modo como a colaboração entre a filantropia, os governos e o setor privado pode levar soluções duradouras para os maiores desafios do mundo”. Bill Gates

     

     

    “O segredo do sucesso muitas vezes envolve o reconhecimento do poder das parcerias. Investindo em valor social mostra como se pode obter retornos extraordinários quando governos, empresas, organizações sem fins lucrativos e cidadãos se unem para trabalhar juntos”. Michael Bloomberg

     

    “Baseado numa abordagem fundamentada em pesquisas e em testes, que servirá de alicerce para a construção de parcerias. Ao aprender com as estratégias buscadas nessas histórias, você descobrirá exatamente por que sou tão esperançoso quanto ao futuro. Você apreciará este livro, e aposto que também será inspirado por sua mensagem de otimismo e de ação”. Warren Buffett

     

  • Alimentando o mundo: o surgimento da moderna economia agrícola no Brasil
    Alimentando o mundo: o surgimento da moderna economia agrícola no Brasil

    Estudo dos professores Herbert S. Klein e Francisco Vidal Luna, Feeding the world, ganha tradução para o português

     

    ‘Alimentando o mundo: o surgimento da moderna economia agrícola no Brasil’, lançamento da FGV Editora em coedição com a Imprensa Oficial, explica como e por que a modernização agrícola ocorreu e como o Brasil evoluiu de exportador monopro­dutor de café para importante produtor agrícola do planeta, posicionado entre os cinco maiores do mundo.

     

    A ascensão do Brasil como potência agrícola pode ser considerada um dos eventos mais impor­tantes na história do mundo moderno. A partir de 1960, com o início desta evolução, o Brasil começou a mudar sua condição de im­portador e pequeno exportador para alcançar o posto de maior exportador líquido de alimentos do mundo atual, cuja a ausência neste mercado resultaria numa drástica redução na oferta de produtos para o planeta.

    Esse avanço à posição de potência mundial só ocorreu recentemente, pois até meados do século XX o Brasil tinha uma economia agrícola tradicional, utilizava tecnologia simples, sem máquinas e com uso constante de solos virgens como principal alavanca da agricultura - nos quais não se aplica­vam fertilizantes nem inseticidas -, atuava com mão de obra não qualificada, baixa produtividade e crédito agrícola irrisório.

    Um período crucial analisado pelos autores para esta “revolução” teve início com uma importante mudança nas políticas governamentais iniciada nos anos 1960 e fortalecida durante o regime militar (1964 – 1985), quando ocorreu vultosa injeção de capital no mundo rural e houve a intervenção direta do governo na comercialização de produtos agrícolas, além da criação da Embrapa, uma das maiores instituições de pesquisa agrícola do mundo, bem como de um programa nacional de mecanização agrícola e da modernização da indústria química.

    O impacto da retirada parcial do governo desse mercado nas crises dos anos 1980 e o impacto subsequente da adoção do livre-comércio nos anos 1990 também são pontos importantes desta análise, já que esses períodos de crise afetaram gravemente o setor agrícola e forçaram uma reorganização da comercialização e integração com novas fontes de crédito, o que beneficiou o crescimento robusto deste setor - paradoxalmente às dificuldades que a indústria nacional, principal preocupação dos governos até então,  passou a enfrentar com a abertura ao mercado mundial sem obter os mesmos êxitos.

    Atualmente, o Brasil possui uma agricultura comercial mecanizada, programas de pesquisa avançados e profissionais especializados, figura como grande consu­midor mundial de fertilizantes e inseticidas, além de ter acesso a crédito dos setores público e privado, o que proporciona uma competição justa e exitosa frente ao mercado mundial.

    Com uma avaliação panorâmica que possibilita uma análise sobre como e por que o Brasil tornou-se um produtor agrícola mundial, os autores demonstram que “esta revolução agrícola ocorreu e continua a evoluir sem a necessidade de expansão adicional das terras e do desmatamento da floresta pluvial. A mineração e a extração ilegal de madeira na Amazônia, embora sejam um grande problema para o Brasil e para o mundo, não são fundamentais para o setor comercial moderno da economia nacional.”

    A obra original ‘Feeding the World: Brazil's Transformation Into a Modern Agricultural Economy’ recebeu Menção Honrosa da Business History Conference dos Estados Unidos.

     

     

     

     

     

     

     

  • O Brasil sob reforma
    O Brasil sob reforma

    A Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EESP) organizou uma série de eventos com a participação de diversos professores e pesquisadores dedicados a discutir e debater ‘Propostas de reformas para destravar o Brasil’.

    Os resultados desse amplo debate, que contou com o envolvimento de diversos setores da sociedade, foram diagnosticados e apresentados por cada dos participantes, de acordo com seus campos de pesquisa, através de propostas eficazes para reformas necessárias.

    Transformadas em artigos sob organização do diretor da FGV EESP, professor Nakano Yoshiaki, essas propostas chegam ao alcance de todos os interessados com a publicação, pela FGV Editora, do ebook O Brasil sob reforma.

    Em um momento de crise econômica como o atual, o livro apresenta visões diversas, independente de linha ideológica, e promove a liberdade acadêmica e de livre pensar dos seus autores, que manifestam suas perspectivas e ideias sobre reformas necessárias.

    De acordo com o professor Vladimir K. Teles, que assina a introdução da obra, bem como seu primeiro capítulo, “o livro traz o objetivo de colaborar com propostas capazes de fomentar um desenvolvimento de um ambiente econômico-institucional mais consistente para propiciar à economia brasileira as condições para fazer um catch up às economias desenvolvidas.”

    O ebook está disponível no site da FGV Editora (fgv.br/editora), bem como na Amazon para aquisição direta no Kindle; na Apple, em seus dispositivos pelo iBooks; e na Google Play.